8.26.2009

Café Vivo

Um lagarto doidão (azul, roxo, amarelo, crespo, loiro, um olho vermelho e outro azul) passou por debaixo da escada. 
Correu, correu, correu e caiu num córrego que levava até o outro lado da cidade. 
Coitadinho. Já tinha muita idade, não poderia ficar mais rodando por aí como em sua tenra juventude (da qual ele tinha muitas saudades, por sinal).
Agarrou um talo de folha e foi-se embora. Parou só quando bateu em uma pedra e engatou o rabo para não ir mais longe. 
Subiu na pedra, era meio-dia. Tomou um solzinho gostoso. Lembrou de tanta coisa gostosa!

Sentiu a brisa. Molhou o rosto. Caiu deitado. 
Estava prontinho para ir embora. 
Foi. Feliz. 
10.jpg

10 comentários:

Grimace. disse...

Ai xau Largato, voce parecia ser muito BONITO apesar de tantas cores... seus textos são lindos sim, e é como tomar café mesmo. ABRAÇO.

O Bardo disse...

Um minuto de silêncio... u.u"
Pobre largartinho psicodélico...

Maris Morgenstern disse...

oi vim aqui pela indicaçao da Grimace,
e sabe que foi uma boa idéia acompanha-la,
adorei o blog'
ADOOOOOOro café

Wagner Lopes disse...

As vezes o melhor a se fazer é sentir a brisa e cair deitado mesmo :)
Bjs

CARVALHO,laís disse...

que o lagartinho descanse em paz ! (L)

Katrina disse...

Já tive um lagarto desses,

▒▓█► JOTA ® disse...

ººº
Layout lindissimo. Parabens vc tem gosto

Papagaio Mudo disse...

nunca tomei um café tão gostoso.
abraços,


Gustavo

Andarilho Descalço disse...

A Terra sabe o que faz.

Verticais Hussman disse...

não sei exatamente por qual motivo, mas isso me lembrou Syd Barret...