6.23.2008

Café Noiado.

Parece que o breu do sono é eterno. Impressionante como a mesma sensação acontece quando o avesso do esperado é que aparece.
A ausência da ação de Hipnos nos meus dias é engraçada... parece que é amiga, sabe? Chega em casa, senta, toma um café, come uns biscoitos, bate um papo. Não sei se pelos anos que a tenho como parceira (talvez venha até do ventre) ou se ela é muito sem vergonha mesmo.
Há vezes nas quais nós duas ficamos esperando o sono chegar. Agora me diga: o que é que adianta esperar esse tipo de coisa? Ele não anda, ele não voa, não plana, não rasteja, e ficamos eu e ela esperando, como tontas, alguma manifestação do ser, que é um não-ser. E nisso passa-se mais de minuto e de hora. Quando se nota, o sol está lá, dando seu "Oi!", e a ausência, bandida e vampira, salta fora e me deixa esperando sozinha. Até chegar a noite de novo. Daí ela vem até aqui comer seus biscoitinhos com café.

10.jpg

2 comentários:

Gugarix disse...

Putz, muito noia.
Deixando a paranóia
em lugares como uma clarabóia,
o que digo é: que jóia
Agora deixo este comentário...
ehhhh...jibóia.
XD

Edblues disse...

insônia companheira de café com bolachas, muitas vezes chega acompanhada da criatividade, vem visitar minhas palavras antes da minha partida para as sendas de morfeu..